A cozinha é o lugar mais reconfortante da casa porque nele encontramos alimento para o corpo e para a alma. Deixe a Natureza entrar na sua e esqueça os produtos feitos pela indústria alimentícia em geral, que não coloca amor nesse ato nem está preocupada com a saúde do seu organismo e o de sua família!

Esse é um dos segredos de manter o bem-estar - não entregue essa função vital a terceiros - ponha a mão na massa, deixe a preguiça de lado e estabeleça como prioridade fazer a comida que vai mantê-lo longe das doenças!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Pão de queijo sem queijo

Quase todo mundo que abandona o consumo de laticínios, sente falta de algum prato feito com eles, como o pão de queijo, por exemplo.
É uma tentação: fofinho, quentinho, fumegante e saboroso...
Algumas receitas de "pão de queijo sem queijo" dão um resultado bem satisfatório e muito próximo ao original: o sabor fica parecido, a textura e a aparência ficam iguais, como provam estas imagens.


Quando bate a vontade de saborear um pãozinho de queijo, faço essa receita, e o desejo vai embora, deixando a satisfação de tê-lo realizado - com prazer e sem laticínios.

"Pão de queijo" com mandioquinha e polvilhos

 Ingredientes (a medida da xícara é de 250 ml)

duas xícaras de polvilho doce
1/2 xícara de polvilho azedo
uma xícara e 1/2 de mandioquinha cozida e esmagada
1/3 de xícara de óleo vegetal
1/4 de xícara de água morna
sal a gosto
temperos a gosto, se desejar fazer uma parte da massa com outro sabor

Como fazer

Cozinhar a mandioquinha até ficar bem mole, amassar com um garfo
para que vire um purê.
Assim que ficar morno, adicione todos os outros ingredientes.
Coloquei nessa ordem, sobre o purê de mandioquinha: os polvilhos,
o sal, o óleo e a água.
Misturar com as mãos, criando uma massa homogênea.

















Divida essa massa ao meio, se quiser fazer diferentes sabores de pão.



















Coloquei numa das metades: cúrcuma, páprica, mangerona, salsa, alho e manjericão (as duas primeiras em pó, os demais bem picadinhos).


















Enquanto o forno aquece, faça as bolinhas e coloque numa assadeira, levemente untada.
Fiz 40 bolinhas de tamanho pequeno.
Pela lógica, deve render 20 pãezinhos de tamanho médio.

Assar por aproximadamente 45 minutos, em forno médio.
Eles ficam no ponto quando apresentam a casquinha crocante e a característica rachadura na superfície.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Quibe de forno com recheio de legumes

Ingredientes da massa

250 g de trigo para quibe, previamente hidratado
4 batatas inglesas grandes, previamente cozidas
cebolinha e salsa picadas a gosto
sal marinho
folhas de hortelã a gosto
molho de pimenta a gosto (opcional)

Ingredientes do recheio

uma cebola média picada
duas xícaras de chá de legumes picados e cozidos no vapor (cenoura, couve flor, vagem, ervilha, brócolis)
uma fatia pequena de tofu defumado picado
azeite de oliva
sal marinho

Como fazer

Faça um purê com as batatas e junte ao trigo hidratado, produzindo uma massa homogênea.
Adicione a salsa, a cebolinha e a hortelã bem picadinhas, mais o sal.
Use a pimenta, caso aprecie.
Está pronta a massa!


Vamos ao recheio: refogue a cebola e o tofu em azeite de oliva.


Junte os legumes picados, salgue e refogue mais um pouco.
Reserve.
É hora de preaquecer o forno (médio).

Espalhe metade da massa num prato refratário untado e coloque o recheio sobre ela.


Cubra com o restante da massa, aperte bem os lados para deixar o quibe compacto.
Regue com azeite de oliva para que a  parte superior não fique seca.
Como sobrou um pouco de massa, fiz alguns quibes no formato tradicional, recheados também.


Asse por 45 minutos (aproximadamente, um pouco mais se o seu forno for lento como o meu).
Coma frio, acompanhado de gotas de limão.
Usei o limão cravo (tem a polpa e a casca cor de laranja), combinou perfeitamente com os temperos do quibe.


quarta-feira, 4 de junho de 2014

Bolo de laranja com frutas secas e cobertura de cacau


A temperatura começa a baixar e, naturalmente, aumenta nossa necessidade de calorias.
Adoro bolos com castanhas, nozes ou frutas desidratadas, eles têm a cara do inverno.
Fiz um bolo bem simples de laranja e adicionei damascos, tâmaras e bananas. Não coloquei a cobertura em toda a superfície, porque ficaria muito doce e também iria mascarar o sabor das frutas.

Os ingredientes e como fazer:

3/4 de xícara de açúcar demerara (os desidratados já são doces)
3/4 de xícara de óleo vegetal (usei óleo de arroz)
2 ovos caipiras (se não utilizar ovos, substitua por 4 colheres de sopa de gel de linhaça)

Misturar bem os ingredientes acima.
Se usar ovos, juntar agora apenas as gemas.

duas xícaras de farinha de trigo (1 1/2 da integral e meia da branca)
uma xícara de suco de laranja

Peneirar as farinhas.
Colocar aos poucos, alternando com o suco.
Misturar bem, deixando a massa homogênea.

as frutas desidratadas

Picá-las e que não excedam meia xícara.
Salpicar farinha de trigo nelas, espalhar bem sobre todas - dessa forma não ficam apenas no fundo da forma.
Adicionar à massa.

uma colher de sopa de fermento em pó (peneirada)

Depois que colocar o fermento, não bater mais a massa, apenas mexer para integrar os ingredientes.
É a hora de adicionar as claras batidas (se usaram gel, esqueçam).
Misturar pela última vez.

Forno aquecido na temperatura média, forma untada, assar durante 45 minutos.
Enquanto o bolo esfria, façam a cobertura.

A receita básica é:

cacau em pó
açúcar mascavo
água

Parece incrível que fique gostoso usando apenas estes ingredientes, mas fica!

Podem fazer variações, como esta:

Numa panelinha esmaltada, colocar 3 colheres de sopa de cacau, 4 colheres de sopa de mascavo e em lugar, da água, café.
A quantidade de líquido é pouca, suficiente para desmanchar os sólidos, o aspecto fica cremoso.
Levar ao fogo baixo e quando ferver, deixar mais uns 3 minutos, mexendo sempre.
Assim que esfriar um pouco, adicionar meia colherinha deste mix de especiarias: pimenta rosa e pimenta preta (em grãos) cardamomo (sementes), noz moscada, macis, cravo e canela (todos em pó).
Para fazê-lo, colocam-se todos os elementos no processador (ou no liquidificador) - depois passar em um coador com a trama bem fina (para que não fique nenhum resíduo) e conservar em vidro fechado. Cada um escolhe a proporção, conforme suas preferências. Apenas não abusem do cardamomo, cravo e pimenta preta. que são os mais salientes.

terça-feira, 18 de março de 2014

Criança não gosta de legumes e frutas?

Esse, realmente, é um mito.
Se não gosta é porque os alimentos foram introduzidos de forma equivocada.
Também muitas mães querem que o filho coma alimentos saudáveis, mas ele não vê os adultos fazendo o mesmo.
Esse não é o caso da Ester (1) e do Pedro (2), filhos da Elisangela Alberta de Souza (Elis).
Leiam o que ela conta sobre a alimentação deles e depois deliciem-se com as imagens!

"A introdução alimentar dos dois foi bem tranquila, com muitas frutas e legumes. Aprendi a ver o alimento como sendo mais do que alimento. Entendi a importância de comer vegetais orgânicos e produtos não industrializados. E assim temos oferecido saúde, e não somente comida para nossos pequenos. Além do leite materno que tem sido em livre demanda para ambos".


Ester comendo morango

Ester experimentando outros vegetais

          Pedro com 7 meses e com dois anos - dá pra perceber que eles 
          alimentam-se pelo método BLW, onde a criança come sozinha.

"O método é bem simples, significa, basicamente, colocar o bebê à mesa junto com a família na hora das refeições e deixar que ele pegue, com suas próprias mãozinhas, pedaços de alimentos. Ele prova. Se gostar, come, se não gostar, não come. Os especialistas explicam que a partir dos seis meses a criança já está apta a comer pedaços (e não apenas papas) e não corre mais o risco de engasgar. O período coincide com o recomendado pela Organização Mundial da Saúde para o início da introdução alimentar, ao término do aleitamento materno exclusivo."
Nada de papinhas!

domingo, 5 de janeiro de 2014

Receitas para conviver com o calor


Para conviver com o calor, precisamos de uma alimentação especial, abandonando os hábitos do inverno, onde precisávamos consumir mais calorias para nos manter aquecidos.

Vontade de comer?

Só se for salada, crua e crocante, cheia de alfaces (lisa, crespa, roxa), chicória, rúcula, radiche, agrião, todo esse verde misturado com cenoura, beterraba, rabanete, nabo comprido ralado, pedaços de manga, laranja e abacaxi, pepino e cebolinha picada.

"Diz o livro do Imperador Amarelo que no verão, apogeu do Fogo, as pessoas não devem se cansar durante o dia nem consentir que seu espírito se irrite. Devem permitir que se desenvolvam as melhores partes de seu corpo e de seu espírito: devem permitir que seu hálito se comunique com o mundo exterior e proceder como se amassem tudo o que existe exteriormente". 

A sabedoria oriental diz que NÃO SE TRATA O QUENTE COM O FRIO, MAS COM O FRESCO; NÃO SE TRATA O FRIO COM O QUENTE, MAS COM O MORNO.

Ainda segundo os orientais: o PEPINO refresca o estômago e os pulmões, o que melhora muito as condições da pele; facilita a circulação de líquidos no corpo e acelera a formação da urina.

A CEBOLINHA VERDE regula a temperatura interna e combina com tudo, crua misturada nas saladas, sanduíches ou colocada picadinha sobre qualquer prato.

O que REDUZ O CALOR: aveia, banana, berinjela, nabo, brotos, caqui, espinafre, limão, laranja, tangerina, maçã, manga, melancia, melão, papaia,, pêra, tomate, trigo, alimentos frescos, crus ou ligeiramente cozidos.

Abuse da água e dos sucos de frutas e de clorofila.

Uma receita fácil e deliciosa: pegue um pedaço grande de melancia, retire a casca e as sementes, pique e coloque no copo do liquidificador; acrescente mais ou menos 10 folhinhas de hortelã e bata no aparelho. Não coe nem misture água. É uma das bebidas mais refrescantes que já experimentei e nem sou fã de melancia!







segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Para quem ainda não chegou lá

Revisando meus textos sobre alimentação e cuidados para manter um nível satisfatório de saúde, verifiquei que todas as indicações (ou praticamente todas elas) situam-se na faixa do ideal.
Por isso, fiquei pensando nas pessoas que leem as dicas e sentem-se infelizes porque estão muito distantes de poder praticá-las.

Então, a elas dedico essa nova tag do blog - Para quem ainda não chegou lá.

Fala-se muito sobre os prejuízos que o alumínio causa ao nosso organismo, inclusive sendo a sua ingestão apontada como causa dos males de Alzheimer e de Parkinson (há muitos estudos a respeito, mas não definitivos).
Uma das principais vias de acesso a esse metal é através das panelas que utilizamos para cozinhar.
Já aconselhamos aqui a não usá-las, porém nem todos podem comprar panelas melhores e mais caras.

Siga os passos abaixo para diminuir a ingestão do alumínio (ou evitá-la ao máximo):

1) Ao lavar as panelas de alumínio, evite esfregar em excesso o seu interior.
Lavá-las com esponja de aço pode aumentar a transferência do metal para os alimentos.
Se o alimento estiver grudado no fundo da panela, coloque água e ferva.
Uma esponja macia e sabão neutro são suficientes, não é necessário deixá-las brilhando;

2) Use colheres de madeira para mexer os alimentos;

3) Coloque o sal após o cozimento, pois a salinidade aumenta a concentração do metal na água;

4) Não cozinhar nestas panelas alimentos ácidos (molho de tomate) nem doces;

5) Não deixe o alimento esfriar dentro delas; também não o guarde nelas, transfira para outra vasilha, caso for mantê-lo na geladeira;

6) Procure ir substituindo gradativamente suas panelas de alumínio, é um investimento para a saúde da sua família.

Para saber mais sobre os prós e contra de panelas feitas com vários materiais, consulte os seguintes links:

Escolha a panela certa 1

Escolha a panela certa 2

Escolha a panela certa 3

Escolha a panela certa 4

Ainda o alumínio...

Panelas de pedra sabão

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Faltou algum ingrediente da receita?

Adoro comer e fazer tabule, é uma receita fácil, saudável e saborosa.
Ontem comprei os ingredientes para prepará-lo mas não encontrei hortelã orgânica e não tinha nenhum pezinho dela nos meus vasos.
Resolvi improvisar.
Fiz um chá de hortelã, usando uma colher de chá bem cheia da erva seca para uma xícara de água (250 ml).


Esperei que ele ficasse forte, coei e usei para hidratar o triguilho (ou como alguns chamam, trigo para quibe). A proporção ficou assim: 250 ml de chá de hortelã, 250 ml de água filtrada e 250 g de triguilho - não sobrou nenhum líquido e a hidratação ficou perfeita.
Deixei a vasilha passar noite na geladeira, para que o sabor da hortelã ficasse bem incorporado.
Um pouco antes da hora do almoço, piquei uma cebola média, dois tomates médios e um pepino grande. Juntei aos grãos, mais azeite de oliva, sumo de um limão e sal marinho.
O chá de hortelã funcionou muito bem, o sabor ficou distribuído com mais equilíbrio do que quando coloco as folhinhas!


sábado, 17 de agosto de 2013

Maria Alice no País das Maravilhas Vegetais

Sou apaixonada por imagens de crianças comendo vegetais! :)
É uma belezura ver essas carinhas curtindo os frutos da Mãe Natureza.

A Fabiana Araujo Guerra é uma amiga do facebook e a filhota dela é a Maria Alice. Vi uma foto dessa gracinha comendo melancia e pedi autorização pra postar, mas depois vi outras e não resisti a mostrar também. Tudo bem, mãe? :)

Segundo a Fabiana: "Maria Alice completou 6 meses de aleitamento materno exclusivo em livre demanda e iniciamos a introdução alimentar com alimentos frescos e naturais. optei por começar pelas frutas. Ela está adorando conhecer novas texturas e sabores. Sou educadora física e me preocupo com a alimentação da família, evitando ao máximo o uso de industrializados pra assim ter uma alimentação mais balanceada e saudável."

Que sorte da Maria Alice ter uma mamãe tão entusiasmada em manter a saúde dela e de toda a família   com uma alimentação saudável!

                                                   Comendo melancia!



Aqui é maçã e banana!



Até da ameixa azedinha ela gostou!

domingo, 4 de agosto de 2013

Mordedor de bebê veg é a cenoura!


Quando os dentinhos forem chegando e trouxerem junto aquela irritante coceira, que tal oferecer um mordedor diferente... Gostaram da ideia? :)

Essa lindeza de criança é o Ixã, filho do Sérgio e da Ana, amigos lá do facebook.

O pai dele nos conta que "ele vai completar 6 meses amanhã e ainda se alimenta de leite materno, exclusivamente. Quando ficar sentado sozinho, sustentando o próprio corpo, sinal de que está preparado para receber outros alimentos, iremos introduzir pouco a pouco suco de lima, água de coco e outras frutas." 

A mãe do Ixã é vegetariana e come ovos e o pai é 100% adepto da alimentação viva.
Ele colabora com uma empresa de orgânicos, a Organika Brasil; quem frequentar o facebook pode acessar a página para informar-se: Organika Brasil fanpage facebook

domingo, 16 de junho de 2013

Buscando a cura na cozinha

Os alimentos saudáveis e variados, combinados com equilíbrio, podem manter a nossa saúde em alta.
Mas quando acontece algum desajuste, também é na cozinha que podemos encontrar a cura, para voltarmos ao equilíbrio perdido, às proporções corretas de yin e yang no nosso cotidiano.























Tratamentos Naturais
Receitas com base macrô (macrobiótica), milenares e que funcionam:

Colírio de Ban-chá

Preparar um banchá bem fraco, deixar esfriar e aplicar 4 gotas em cada vista. Este colírio é ótimo para enfermidades inflamatórias dos olhos. Lembrar que as folhas de banchá devem ser levemente tostadas antes de colocarmos a água sobre elas e levar até o ponto de fervura.

Colírio de Gergelim

Com o auxílio de um funil bem limpo de algodão esterilizado, filtrar o óleo puro de gergelim.
Aplicar 3 gotas de cada vez em cada olho antes de deitar. Útil em todas as enfermidades do olhos. O uso do óleo de gergelim também é aconselhado nas infecções do ouvido (principalmente, no início do processo), quando coloca-se 3 gotas mornas do óleo no ouvido com problema, pressionando a abertura com um pedacinho de algodão.

Compressas de Clorofila

Esmagar folhas de agrião ou de espinafre, ou folhas grandes de qualquer vegetal, e aplicar essa pasta, envolvida em pano fino (gaze), sobre a testa, para acalmar a febre.

Compressa de Sal marinho

Aquecer cerca de um quilo de sal marinho fino, colocar num saco de pano grosso e aplicar sobre a parte enferma ou dolorida. Muito útil nas afecções reumáticas e nas contusões, também em otites. Tomar os devidos cuidados para evitar queimaduras.

Dentie - ou Dentifrício Macrobiótico

Torrar no forno uma ou duas beringelas, triturá-las muito bem e misturar o pó (bem fino) assim obtido com partes iguais de sal marinho, também triturado em pó bem fino. Usa-se como substituto das pastas dentifrícias químicas. Pode-se usar com a escova de dentes ou aplicar com o dedo, massageando bem as gengivas. Eficaz no caso de piorréia, inflamações da boca em geral, dores de dente e nevralgias, bastando aplicar o pó na região afetada com vigor repetidas vezes.

Dentie Composto (ou Dentie nº 2)

Basta misturar o dentie comum em partes iguais com o gengibre em pó seco. Ideal para casos mais agudos.

Emplastro de Inhame

Ralar algumas raízes cruas de inhame (quanto menores, melhor), sem casca. Adicionar à quantidade obtida uma parte igual de farinha de trigo integral e 10% de gengibre cru ralado. Misturar bem os ingredientes e estender essa pasta sobre uma pano fino. Embrulhar e aplicar sobre a parte afetada. Estender sobre o emplastro um pedaço de plástico e deixar assim por 2 horas. Aplicar depois da compressa de gengibre, 4 a 5 vezes ao dia. Puxa a toxicidade de dentro do corpo para fora, como no caso de furúnculos e até tumores.

Compressa de Gengibre

Ralar 120 gramas de gengibre cru ou juntar uma colher de sopa de pó seco de gengibre; colocar num saquinho de pano fino. Ferver 3 litros de água, desligar o fogo e colocar o saquinho nessa água. Quando o conteúdo ficar levemente amarelado, molhar um pano ou toalha para fazer a compressa. Aplicar bem quente, cobrindo essa compressa com uma toalha seca. Mudar a compressa 5 ou 10 vezes durante 20 ou 30 minutos. Eficaz em inflamações, como sinusite. Após o uso dessa compressa, indica-se o uso do emplastro de inhame, se necessário.

Emplastro de Raiz-de-lótus

Ralar alguns pedaços (cortados longitudinalmente) de raiz-de-lótus, adicionar uma colher de sopa de gengibre ralado e uma colher de sopa de farinha de trigo integral bem fina. Amassar bem e com um pano fino, fazer um emplastro grosso, que deve ser aplicado na região superior do nariz (sinusite). Esse emplastro deve ser usado bem preso por meio de esparadrapo e permanecer durante a noite toda. Repetir até obter a melhora.

Cataplasma de Alga kombu

Esticar um pedaço grande de alga marinha kombu, mergulhar durante 30 segundos em água fervente, retirar, deixar resfriar um pouco e aplicar em feridas e úlceras.

Chá de Raiz-de-lótus

Essa raiz pode ser usada como chá ou alimento. O chá é preparado com 3 ou 4 fatias da raiz, fervidas em um litro de água. Toma-se em jejum, depois das refeições e antes de dormir, meia xícara de chá. Eficaz contra distúrbios respiratórios, como tosse, rouquidão, infecções na boca, na garganta e nos pulmões; elimina a nicotina, o alcatrão e outros agentes poluentes, normalizando as funções respiratórias. A raiz, depois de preparado o chá, pode ser comida: é ótimo tõnico e muito estimulante (yang).

Feijão Azuki

Além de ser consumido como alimento (preparado como feijão comum), é especial para diabéticos devido às suas qualidades diuréticas. Com os grãos torrados, faz-se o chá próprio para diabéticos e para a maioria das doenças metabólicas. É depurativo do sangue, elimina o excesso de ácido úrico e tonifica os rins, além de ser calmante. Para preparar: colocar 2 colheres de sopa dos grãos crus numa panela ou frigideira e torrá-los até que mudem de cor. Adiciona-se um litro de água e deixa-se ferver até que o conteúdo adquira uma cor bem escura. Toma-se meio copo após as refeições.

Chá Habu

Muito usado no Japão, no Brasil é conhecido como "fedegoso". Indicado contra prisão de ventre, afecções intestinais, gripes, resfriados, coriza; prepara-se colocando para torrar uma colher de sopa de grãos numa panela, até que abram e se tornem vermelho-escuro. Adiciona-se então meio litro de água e ferve-se por 10 minutos. Toma-se á noite, antes de dormir ou de hora em hora, em gripes fortes.

Nota: Para crianças, cortamos as indicações pela metade, por exemplo, onde lê-se aplicar 4 gotas, usamos apenas duas. Tudo tem que ser mais fraco e diluído para o organismo mais frágil.